RÁDIO ARQIVO5

http://streaming29.hstbr.net/player/radioarquiv

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013


Vice-presidente venezuelano nega rumores sobre morte de Chávez 
Ex-embaixador do Panamá anunciou nesta semana que foram desligados os aparelhos que mantinham vivo o mandatário 
Palácio Miraflores/ReutersÚltima imagem de Chávez, divulgada pelo governo no dia 15 de fevereiro
O vice-presidente venezuelano Nicolás Maduro negou nesta quinta-feira (28) os rumores de que o mandatário Hugo Chávez estaria morto há cinco dias.
Segundo informações obtidas pelo diário britânico The Telegraph, reproduzidas por diversos meios de comunicação ao redor do mundo, Maduro informou que Chávez segue governando o país direto do hospital militar de Caracas, onde está internado desde o dia 18 de fevereiro, após passar mais de dois meses em Cuba.
Escolhido por Chávez em dezembro como seu sucessor, Maduro reiterou que Chávez está respirando através de um tubo de traqueostomia, o que dificulta temporariamente a fala.
A suposta morte de Chávez foi denunciada nesta semana pelo ex-embaixador do Panamá na OEA (Organização dos Estados Americanos), Guillermo Cochez.
Segundo Cochez, os aparelhos que mantinham Hugo Chávez vivo foram desligados há cinco dias.
Ele também afirmou que Chávez teria sofrido morte cerebral no dia 30 de dezembro, e que, portanto, o presidente venezuelano foi transferido de Havana a Caracas em estado vegetativo.
Em seu Twitter, o ex-embaixador exige que o governo venezuelano forneça provas de que Chávez continua vivo. Segundo ele, o governo está "enganando a Venezuela e o mundo inteiro".
Sem citar a data e o local da conversa com o vice-presidente, o Telegraph informou que, segundo Maduro, Chávez realizou recentemente uma reunião de cinco horas.
— Nós o reconhecemos como um pai, um chefe, um guia, em todos os sentidos de revolução e vida.
Prontuário
Chávez, de 58 anos e desde 1999 no poder, segue internado em Havana desde 11 de dezembro de 2012, quando foi submetido à quarta cirurgia para a retirada de um tumor na pélvis, diagnosticado em junho de 2011.
O mandatário, que foi reeleito nas eleições de outubro, sofreu complicações no pós-operatório e não pode viajar à Venezuela para tomar posse para um novo mandato, em cerimônia marcada para 10 de janeiro, o que aumentou os boatos sobre seu estado de saúde.
Desde então, vários boatos sobre a saúde do autointitulado "líder bolivariano" circularam pelas redes sociais e na imprensa internacional.
Em meados de janeiros, circulou pela internet uma montagem que mostrava Chávez morto, deitado em um caixão. A foto reforçou a tese de diversos boatos de que o mandatário não teria sobrevivido à quarta operação para tratar o câncer.
Já em 24 de janeiro passado, o diário El País, o mais importante da Espanha, chegou a imprimir milhares de jornais estampando a foto de um homem muito semelhante a Chávez e que estava entubado. Em poucas horas, internautas revelaram que a imagem não passava de um frame retirado de um vídeo no youtube, o que forçou o El País a paralisar a distribuição de seu jornal. O caso gerou revolta na cúpula do governo chavista, que prometeu processar o diário.
Informações R7

Nenhum comentário:

Postar um comentário