RÁDIO ARQIVO5

http://streaming29.hstbr.net/player/radioarquiv

terça-feira, 28 de maio de 2013

Menino de 5 anos faz parto de mãe e salva a vida do irmão


Kelly Graves, 28, passava por uma gravidez normal e tranquila, parecida com a de seu primeiro filho, Joby, 5. Na noite de 8 de maio, uma terça-feira, eles voltavam de uma festa quando, ao chegar na casa de seu padrasto, David Gledhill, Kelly começou a sentir contrações de 10 em 10 minutos.

Ela avisou david e sua mãe sue do ocorrido. O padrasto se apressou a levar kelly de volta para sua casa, para pegar suas coisas, retornando à própria casa para ajudar sue e depois levar todo mundo para o hospital.

Já em sua casa, Kelly ligou para o hospital, que a confortou dizendo que ela tinha bastante tempo. “quando eu estava falando com a enfermeira no telefone, minhas contrações saltaram de cada dez minutos para cada seis minutos, mas ela me disse para não me preocupar e chegar ao hospital daqui uma hora. Eu tive um parto simples com Joby, então estávamos todos esperando a mesma coisa”, conta Kelly.

Na companhia apenas de joby, os dois tomaram um banho, quando, descendo as escadas, a bolsa de Kelly estourou. Na mesma hora, gritou para Joby ir buscar sue, sua mãe. No banheiro, Kelly notou que estava sangrando e entrou em pânico.

O que você imagina que acontece em seguida? Que diante de tal situação, a presença de um menino de cinco anos não ajuda em nada, na verdade possivelmente atrapalha?

Na família graves, o contrário ocorreu. Ágil, o menino buscou o telefone e ligou para os avós. A mãe, ao lado, de repente começou a ter o bebê. Joby pode ver seu irmãozinho saindo de dentro da mãe. Em alguns casos, partos em casa podem ser mais seguros

Enquanto Kelly segurava o bebê, Joby a confortava, buscava toalhas, enrolava o irmão. “eu podia ouvir minha mãe dizendo ao telefone: ‘sim, nós sabemos, mamãe vai ter um bebê’ e ele respondendo: ‘não, o bebê já está aqui! O bebê já está aqui!’”, disse Kelly.

No meio de toda essa confusão, o novo bebê, harley, nome escolhido por joby, não estava respirando. Kelly, por puro instinto, desobstruiu suas vias respiratórias, além de fazer respiração boca a boca. Mas o cordão umbilical de Harley estava envolvido em seu pescoço.

“Eu falei: ‘meu deus, o cordão!’. Joby me perguntou se podia tocá-lo, e então rapidamente o desembaraçou do pescoço de Harley, impedindo-o de sufocar. De onde eu estava, sentada no chão do banheiro, encolhida contra a pia, eu não teria sido capaz de fazer isso sozinha, com apenas uma mão livre. Eu acredito que ele ajudou a salvar a vida do irmão”, afirmou a mamãe.

Em seguida, os pais de Kelly bem como os paramédicos chegaram. Sue conseguiu cortar o cordão umbilical, e mãe e bebê receberam o tratamento necessário. Mas o pequeno herói da história, certamente, foi Joby: essa criança adorável que, no auge dos seus cinco anos, agiu com calma e responsabilidade.

Kelly conta que ele a apoiou durante toda a gravidez, e que estava muito ansioso para conhecer seu irmão. Com certeza, o vínculo entre eles será ainda mais forte, agora que um salvou a vida do outro.

E partos emergenciais não são tão incomuns assim. Na sociedade tecnológica de hoje, a internet ajudou a trazer bebês ao mundo pelo menos duas vezes, ambas no ano de 2009: marc stephens auxiliou no parto de seu filho depois de assistir vídeos no You Tube sobre como proceder, enquanto Leroy Smith ajudou emma a vir ao mundo depois de pesquisar no google como fazer um parto.


Fonte: Mail Online


Bom dia Feira

Nenhum comentário:

Postar um comentário