RÁDIO ARQIVO5

http://streaming29.hstbr.net/player/radioarquiv

terça-feira, 24 de junho de 2014

Prandelli se demite, e presidente da Federação renuncia após eliminação

Treinador não dirige mais a Azzurra, e dirigente Giancarlo Abete se retira de entidade, mas ainda tem esperança de mudar a decisão do técnico
 
Por Marcelo RussioNatal , RN

Comente agora

Prandelli dirige a equipe à beira do campo na
Arena das Dunas, em Natal (Foto: Getty Images )

Não é só no Brasil que isso acontece. A primeira vítima
da queda precoce da Itália na fase de grupos da Copa do Mundo 2014, após derrota para o Uruguai, foi o treinador. O contrato de Cesare Prandelli valia até a Eurocopa 2016, mas o mau resultado no Mundial e a pressão que ele disse sofrer desde que a renovação do seu vínculo foi anunciada determinaram o pedido de demissão do comandante da Azzurra. Ele assumiu a responsabilidade pelo fracasso na competição e culpou a expulsão pela derrota no jogo decisivo frente à Celeste.
- A impressão é de que estávamos competindo e predominando, mas a expulsão mudou totalmente o rumo da partida. No final do jogo conversei com Albertini e Valentini, e visto que o projeto técnicoé de minha responsabilidade, apresentei a minha demissão. Antes de renovar o contrato existia a vontade de continuar nesse processo. Depois da renovação, passamos a lidar com agressões verbais, como em um partido político. Nos sentimos como pessoas que devem aos contribuintes. Eu nunca roubei nada e nunca devi nada a ninguém. Se eu cometi um erro, assumo. Mas que jamais digam que eu roubei dos contribuintes - afirmou taxativo o treinador.

Cesar Prandelli tenta em vão indicar o caminho para a Itália, mas time é derrotado pelo Uruguai (Foto: Reuters)Cesar Prandelli tenta em vão indicar o caminho para a Itália, mas time é derrotado pelo Uruguai (Foto: Reuters)
Mais esperado, o presidente da Federação Italiana de Futebol Giancarlo Abete também aproveitou para comunicar a sua renúncia ao cargo assim que voltar à Itália. Apesar do seu "irrevogável" afastamento, o dirigente disse que ainda tem esperanças que Prandelli reconsidere a sua decisão.
- Prandelli apresentou seu pedido de demissão. Vou convocar uma reunião logo que voltar à Itália, mas espero que ele retire esse pedido, porque, na minha opinião , embora esse resultado tenha acontecido, todo o possível foi feito para que fôssemos melhor do que fomos. Tivemos ótimos resultados nas eliminatórias e na Euro. Já disse a Prandelli que, de qualquer forma, vou apresentar a minha demissão em caráter irrevogável ao Conselho Federal, porque fizemos o máximo que pudemos. Demetrio Albertini, como chefe da delegação, fez o seu melhor. Estou no meu sétimo Mundial, e já havia tomado essa decisão antes do início da Copa. Faço esse pedido de demissão com serenidade e refleti muito para isso. Quero continuar em outras funções, como na Uefa, mas quero liberar a Federação de ser alvo de críticas pela minha presença. O Conselho Federal certamente recusará a demissão de Prandelli, e espero que ele reconsidere o seu pedido. Mas a minha é totalmente irrevogável. Em agosto, voltaremos com um novo presidente, que terá todo o meu apoio. Tenho um gosto amargo como torcedor, mas como dirigente sei que fizemos o melhor possível - afirmou Abete.
Confira o que mais o técnico Cesare Prandelli falou na coletiva após a derrota:

RESPONSABILIDADE

O projeto técnico é de minha responsabilidade, e eu assumo toda ela. É injusto dizer que o projeto técnico não foi bem sucedido por culpa de um ou outro. A culpa e a responsabilidade é minha.
“O esquema não funcionou, mesmo com os quatro atacantes"
Cesare Prandelli

MORDIDA DE SUÁREZ

Este jogo não era uma competição de cartões vermelhos. Eu vi as imagens e as marcas da mordida de Suárez em Chiellini. É uma pena, uma pena mesmo, que as pessoas não aceitem derrotas. É preciso que aceitem os insucessos. Fico triste com a atitude de Suárez.

BALOTELLI

Sobre Balotelli, ele faz parte deste projeto técnico. Eu o escolhi e eu peço demissão, porque o projeto não se mostrou vencedor. Nós perdemos o Mundial no jogo contra a Costa Rica. Tínhamos condições de fazer mais, e tínhamos que ter feito mais. O esquema não funcionou, mesmo com os quatro atacantes que eu coloquei em campo. Sabíamos que seria difícil encontrar condições para dar uma arrancada contra os demais times. Os nossos adversários sofreram com a posse de bola, mas quando eles retomavam a posse de bola, a arrancada deles era incrível. Nós não produzimos jogadores para atuar assim, e isso também é parte do projeto como um todo.

BASE E FALTA DE APOIO

Nossa base perdeu a forma de jogar futebol. Temos muitos estrangeiros em nosso campeonato. Quando temos um jogo oficial na quarta-feira, o campeonato tem vários adiamentos. Não temos muito apoio dos próprios torcedores. Recebíamos insultos, vaias, xingamentos e apitos, e depois exigem que sejamos o time que vai representar o país. Xingam o nosso próprio Hino Nacional. É importante dar atenção às categorias de base.

TECNOLOGIA NO FUTEBOL

Estou convencido de que é necessário usar o máximo de meios e tecnologias à disposição para que não haja erros que afetem uma seleção. O futebol é maravilhoso quando dois times jogam em busca da vitória. Para mim, uma expulsão injusta atrapalhou o destino da Itália.




Nenhum comentário:

Postar um comentário