RÁDIO ARQIVO5

http://streaming29.hstbr.net/player/radioarquiv

sexta-feira, 18 de março de 2016

PT baiano diz que Moro assumiu papel de cabo eleitoral


Política

Na Bahia, o presidente do PT, Everaldo Anunciação, considerou a interceptação telefônica de Lula "um desrespeito à Constituição"
por
Aparecido Silva

A interceptação telefônica ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo juiz federal Sérgio Moro na Operação Lava Jato e quebra de sigilo do teor das conversas gravadas causaram diversas manifestações por todo o país na noite de anteontem. Um grupo questionava a nomeação de Lula para a Casa Civil depois que um dos áudios mostrou a presidente Dilma Rousseff informando o encaminhamento do termo de posse para que fosse assinado em caso de necessidade pelo petista. Do outro lado, manifestantes reagiam aos protestos e defendiam o ex-presidente. 

Na Bahia, o presidente do PT, Everaldo Anunciação, considerou a interceptação telefônica de Lula “um desrespeito à Constituição”. Em entrevista à Tribuna, o dirigente criticou duramente a atuação de Moro à frente da Lava Jato, operação que investiga o esquema de corrupção na Petrobras.

“É uma demonstração de que a atuação dele é política, não jurídica. Infelizmente, é um juiz que, como a Justiça não lhe permite filiação partidária, assumiu o papel de cabo eleitoral. Isso é ruim para ele, para a instituição e para a democracia. Queremos que as coisas aconteçam dentro da lei para que a sociedade se sinta segura”, ponderou Anunciação. “A oposição ocupa uma estratégia para desgastar a figura de Lula, do PT e de Dilma para que em 2018 Lula não tenha condições de disputa”, disse o presidente do PT baiano, apontando motivação político-partidária nas ofensivas da oposição.

O deputado federal e líder do PT na Câmara Federal, Afonso Florence, reforçou as críticas ao juiz. “Mais uma vez, o juiz errou feio juridicamente e se meteu na disputa política, desta vez com o agravante de incentivar a radicalização de setores exaltados entre os defensores do impeachment, jogando o país à beira de uma convulsão social. [...] Tudo isso deveria ter sido feito de acordo com o devido processo legal. Como envolve a presidente, tem segredo de Estado”. (AS)

Tribuna Feirense

Nenhum comentário:

Postar um comentário