RÁDIO ARQIVO5

http://streaming29.hstbr.net/player/radioarquiv

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Prefeito de Toronto reconhece ter fumado crack, mas nega vício

DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS
Folha de S. Paulo
O prefeito de Toronto (Canadá), Rob Ford, admitiu nesta terça-feira que fumou crack "provavelmente há um ano", quando se encontrava num estado de "estupor alcoólico". "Tudo que posso dizer é que eu cometi erros", afirmou.
Ford negou ser viciado e reafirmou que não pensa em renunciar ao comando da maior cidade canadense (2,8 milhões de habitantes).
Mark Blinch/Reuters
O prefeito de Toronto, Rob Ford, admite ter fumado crack após denúncias da imprensa e investigação da polícia
O prefeito de Toronto, Rob Ford, admite ter fumado crack após denúncias da imprensa e investigação da polícia
"Foi a coisa mais difícil e embaraçosa que eu já tive que fazer [pedir desculpas]", disse o prefeito em uma entrevista coletiva. "Mas não vai acontecer de novo." Para ele, admitir o caso "foi como se tivesse tirado mil libras (450 kg) das costas".
Ford aproveitou ainda para se lançar candidato à reeleição. "As pessoas vão escolher democraticamente em 27 de outubro de 2014 se elas querem que Rob Ford seja o prefeito de Toronto."
Em maio, ele foi acusado de aparecer em um vídeo consumindo a droga. Até então, vinha negando. Na semana passada, porém, a polícia disse ter cópia da gravação como parte de investigação contra um amigo do prefeito. Segundo Ford, "algumas vezes estive sob efeito do álcool e, por isso, queria ver o vídeo".
A polícia informou que as imagens só serão exibidas no tribunal, quando o amigo de Ford, Alexander Lisi, for a julgamento para responder por tráfico de drogas e extorsão.
Aliados de Ford pedem que ele deixe o cargo temporariamente. Pela lei municipal, o prefeito pode ser forçado a renunciar caso seja condenado em processo criminal.
WASHINGTON
Outro famoso caso de envolvimento de um prefeito com drogas é o de Marion Barry, que governava Washington em 1990 ao ser preso por consumo de crack. Ele ficou detido por seis meses.
Após ser solto, foi eleito novamente e retornou à prefeitura entre 1995 e 1999.

Nenhum comentário:

Postar um comentário